A Autarquia  
 Inf. Económico-financeira
 Recursos Humanos
 Pessoal/concursos
 O Concelho  
 Eventos  
 Eventos passados
Enviar a um(a) amigo(a)Enviar por e-mail      ImprimirImprimir

Gestão da ZCM



 

A Câmara Municipal de Góis elaborou um Plano de Gestão que foi posteriormente aprovado pela tutela. Este Plano programa todas as ações a levar a efeito até 2009.

 

Como entidade gestora têm sido tomadas medidas relacionadas com o fomento e conservação do património cinegético.

 

 

Gestão do Habitat

 

Foram instalados comedouros e bebedouros, para a caça menor, localizados a cotas médias e altas em terrenos baldios.

 

A época estival é uma altura crítica, nomeadamente para a perdiz. Os pontos de água, tornam-se de grande utilidade já que permitem que aí abunde vegetação verde e insetos (fundamentais para os perdigotos). Quantos mais locais de alimento/água existirem menor é o risco de predação.

 

 

Gestão das Populações Cinegéticas

 

Centro de recria de coelho-bravo

Com base na Portaria nº 464/2001 de 8 de maio, foi autorizada à Câmara Municipal de Góis, a criação em cativeiro de 15 coelhos (Oryctolagus cuniculus algirus), 4 machos e 11 fêmeas, em instalações no exterior, localizadas no Baião. A produção estimada é de 110 animais/ano e destina-se a repovoamentos e utilização em campos de treino. Esta autorização é válida para 5 anos civis, renováveis automaticamente por idêntico período.

 

Todas as medidas a implementar têm como objetivo a obtenção de um produto de qualidade, através da produção de coelho-bravo com características genéticas, morfológicas e etológicas que asseguram repovoamentos com êxito.

 

Repovoamento

 

Os repovoamentos são as ações de gestão mais vulgarizadas na recuperação das populações cinegéticas. O Plano de Gestão já referido prevê esta medida que só deverá ser implementada em último recurso e com algumas restrições.

 

Os coelhos adquiridos para a recria devem possuir garantia sanitária, pureza genética comprovada e pertencerem à sub-espécie Oryctolagus cuniculus algirus.

 

Recorremos a cercados amovíveis, semi-permeáveis de aclimatação, que fornecem proteção (dos predadores pelo menos nos primeiros 15 dias) e alimento suficiente até se adaptarem ao meio envolvente.